quarta-feira, 20 de junho de 2007

Lagos Contaminados com Esgoto
















São fotos dos lagos no Parque Central, demonstrando que os mesmos estão contaminados com esgoto, pois além das imagens, no local sente-se um grande mal cheiro.
Gostariamos também que algum vereador ou vereadora se possível, encaminhasse requerimento ao sr. prefeito cobrando uma solução do problema, já que inúmeras espécies da fauna existente no parque dependem dos lagos para sobreviver.




12 comentários:

Anônimo disse...

A preocupação da prefeitura deveria ser principalmente conservar as nascentes d'água, a flora e a fauna do Parque, mas
infelizmente podemos constatar que atenção é para outros empreendimentos, e deixam de fazer o básico, já que se trata de esgoto a céu aberto. Que aves se alimentarão em lagos poluídos como estes?

Francisco disse...

Discurso da Prefeitura e do Semasa:
"Preservamos os Onze Parques Urbanos da cidade.È assim que Santo André cuida do meio ambiente e mantém a esperança num amanhã melhor.
Junho é o mês do meio ambiente".
Onde está o Semasa e a Prefeitura nesta hora...Propaganda Enganosa!!!

Anônimo disse...

E continua "Até 2008, teremos 80% do esgoto de Santo André sendo tratado". Será que as lagoas vão resistir por tanto tempo?

Sérgio disse...

SOBRE O LAGO POLUIDO-Algas crescendo na superficio não é necessariamente negativo. Ela cresce porque a água está nutritiva, por conter matéria orgânica[normalmente esgoto], e limpa e purifica a água pois absorve os nutrientes. Quando não absorvido eles se degradam[fermentam] e absorvem oxigênio da água. Se há muito esgoto se absorve muito oxigenio. A água com pouco ou sem oxigênio não sustenta a vida dos peixes, que morrem sem ar.
SOLUÇÃO -1) Se sabe que plantas purificam a água e é conhecido no mundo todo o método que faz as águas correrem vagarosamente e sem direcionamento em várseas cobertas por plantas. Elas saem dali puras. Todos que trabalham com agricultura orgânica sabe e faz isso. Esse tema foi colocado na reunião feita na câmara com o Sr. Ricardo. É fácil, barato, ecológico, sustentável.
2) Numa floresta toda a chuva por pesada que seja é absorvida pelo solo fofo,poroso alimentando o lençol freático. Por isso uma floresta tem muita nascente perene. Na grama [como o pq.central] essa absorção é muito menor. A chuva então escorre imediatamente para os lagos, não alimentando o lençol freático, não suprindo nascentes perenes e umidecendo menos o solo, que logo fica seco. Nascentes com pouca água, não renovam a água dos lagos, agravando a falta de oxigênio.
Então se queremos lagos com boa água e muita água, temos que ter floresta. O bom disso é que depois vem os pássaros, as flores, a vida natural em sua plenitude.
Sérgio

maria disse...

Todos devem lembrar da participação de Sevem Suzuki e das crianças canadenses na ECO/92.
Elas vieram fazer um apelo aos adultos. Entre outras coisas importantes, diziam elas no seu texto:

"Vocês não sabem como reparar os buracos na camada de ozônio.
Vocês não sabem como salvar os peixes das águas poluídas.
Vocês não podem ressuscitar os animais extintos e Vocês não podem
recuperar as florestas que um dia existiram onde hoje é deserto.
Se Vocês não podem recuperar nada disso, então, por favor,
parem de destruir."

Sérgio disse...

ESTÁ NOS JORNAIS
Vereador Malatesta do PT. Quer ser prefeito e se for seu projeto de desenvolvimento é colocar indústrias nas áreas de mananciais. Água?? Ora bolas pra ela.
-----------
Prefeito Dib de S.Bernardo ofereceu 780.000m2 na Billings para a UFABC[universidade}.Água?? Quem se importa.
-------------
Prefeito Dib, também ofereceu área nas margens da Billings para construir parque temático de 600milhões de reais.
-------------------------
Esses políticos após liberar a invasão dos mananciais, estão de olho gordo no que restou. A lei?? Ora a lei. Só aplicam se gerar imposto ou multa.
Sergio

Sérgio disse...

Solo tropical
"A conservação do solo se destaca na agenda da agricultura sustentável. Base da produção, é na fartura da terra que vinga a riqueza das plantas e dos animais, fornecendo alimentos, matérias-primas e, agora, energia renovável. Cuidar do solo significa garantir o futuro. Cada centímetro de solo exige séculos para se formar. Custa uma fortuna na contabilidade da natureza. Nesses tempos de aquecimento global, teme-se pela desertificação, que dramaticamente já se verifica em certas áreas agrícolas do mundo, incluindo o semi-árido nordestino. Nova batalha terá de ser vencida pelos conservacionistas. A cada época, um desafio. Parece um alerta, quase um castigo, como se aos agricultores fosse necessário sempre lembrar que o solo é patrimônio da humanidade", artigo de Xico Graziano - OESP, 24/4, Espaço Aberto, p.A2.

Amigos do Parque Central disse...

Lagos do Parque Central sofrem com poluentes

VLADIMIR RIBEIRO
PARA O DIARIO REGIONAL
Ricardo Trida
Um local para estar em contato com a natureza. Este é o objetivo dos moradores do entorno do Parque Central, em Santo André, que não estão satisfeitos com as ações que a prefeitura vem tomando no local. Unidos no movimento Amigos do Parque Central, cerca de 40 pessoas reclamam da poluição dos lagos e da falta de árvores nativas.
Segundo um dos integrantes do movimento, José Carlos Vieira, o parque possui algumas nascentes que estão desprotegidas e que juntas formam o córrego Carapituba, o qual deságua no rio Tamanduateí. Vieira afirma que um dos lagos está parcialmente coberto por uma camada verde de lodo, a qual tira o oxigênio da água e exala mau cheiro. Vieira revela ainda que atualmente o local possui muitos tocos de árvore espalhados.
Por meio da assessoria de imprensa, a prefeitura informou que a manutenção dos lagos é feita diariamente pelo Departamento de Parques e Áreas verdes (DPAV,) e que o Semasa já foi acionado para verificar se há realmente ocorrência de vazamento de esgoto. Sobre o plantio de árvores, a prefeitura explicou que na reinauguração do parque foram plantadas cerca de 10.500 mudas. "O plantio é freqüente e constante".

Amigos do Parque Central disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio disse...

Neste fim de semana o Pq. Central irá se transformar no "Arraiá" da cidade. Vem artistas, vai ter teatro, oficinas,etc..etc...A área natural está área de eventos. Coitadas das aves. Os quero-quero ficam malucos,defendendo seu espaço. Esse parque se transformou no EGO dos atuais dirigentes.Tudo ali. Se esqueceram até, que metade da cidade fica do outro lado dos trilhos e é difícil chegar. Se esqueceram que os ônibus têm suas linhas se dirigindo ao centro. Ali descem e têm que se virar. Porque não fazem as festas no paço, como era? É fácil chegar. Gostaria de saber o que pensa os moradores de além dos trilhos ou até mesmo vila Luzita.

Glória disse...

A poluição continua nos lagos do Parque, apesar da Semasa declarar limpá-los diariamente.Que vergonha convidar a população para festa com a casa suja....

Sérgio disse...

Nossa luta com a PMSA/DEPAV não está igual. Enquanto temos que falar a verdade e provar com fotos, eles falam as mentiras de sempre. Cuidam dos lagos diariamente?? Plantam árvores de forma constante???Cadê as árvores. O Pq. Central é um dos mais devastados da grande S.Paulo. E as praças da cidade não fogem à regra.